Repensando a forma de encarar a vida

Dia desses, eu caí. Sim, caí, levei um tombo, me esborrachei no chão, fui “pegando cavaco” até quase beijar a calçada. E não que isso seja novidade, ainda mais se tratando de mim. Vivo por aí tropeçando, dando com a cara nas coisas, quase arranco meus dedinhos do pé. Até aí, tudo bem – ou …