Não temos mais tempo para nos enxergar

Em meio a tanta correria do dia a dia: imprevistos, trabalho, estudos, responsabilidades, preocupações, acabamos entrando no automático. Sim, como uma máquina. Sorrimos sem estarmos felizes. Dizemos “tudo bem” sem parar para nos analisar e ver se realmente estamos bem. Acordamos com um “bom dia” mal falado, pelo sono que não consegue mais ser reposto …