Não julgue os rótulos

Durante uma conversa cotidiana com um conhecido, acabei ouvindo a tão conhecida frase “Quem se define, se limita. Rótulo para que?”. Nunca concordei muito com essa afirmação, porém nesse dia específico acabei me incomodando mais com ela. Definir e se limitar são duas coisas distintas, separadas por um abismo enorme. Uma coisa é você querer definir alguém, estereotipar apenas por uma característica, outra coisa é o autoconhecimento, o que é essencial para todo mundo. Se eu tenho propriedade suficiente para dizer que sou x ou y, não estou me rotulando, estou me conhecendo, me descobrindo. E mesmo que seja rotular, qual o problema disso? Em um rótulo vêm descrito todos os ingredientes utilizados, suas quantidades, origem, o seu propósito no mundo. Queria eu me conhecer bem ao ponto de saber todas essas informações sobre minha pessoa. Quem não tenta se definir, não descobre qual o motivo de estar aqui. Tentar se definir é totalmente o oposto de se limitar, é descobrir quem você é, do que é capaz; e caso esteja satisfeito, ótimo, pode apenas seguir evoluindo. Mas caso não esteja satisfeito com o que é, pronto, agora que sabe mais sobre si, é a chance que tem para mudar aquilo que te incomoda. E claro, se rotular hoje não significa que terá o mesmo rótulo a vida toda, tirar um rótulo antigo para conceder espaço para novas informações estará sempre ao alcance das suas mãos, basta querer.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s